TESTE DE LIBERAÇÃO DE CORTISOL APÓS CORTROSINA

Código:

TLCRTCORTR

Sinônimo:

Estímulo com ACTH p/ Cortisol

Material:

Soro

Volume:

1,0 mL

Método:

Eletroquimioluminescência

Volume Lab:

1,0 mL

Rotina:

Diária

Resultado em:

Interferentes:

36 horas

Temperatura:

Refrigerado

Estabilidade da amostra:

Ambiente

Refrigerado

Freezer

Hora

Hora

Hora

2

96

2160

Coleta:

O exame compreende dosagens seriadas de cortisol (basal e após estímulo com 1 µg de ACTH). A duração padrão do teste é de 60 minutos ou conforme solicitação médica. De 0 até 3 anos: jejum mínimo de três horas. Acima de 3 anos: jejum mínimo de oito horas. Punção venosa com cateter e repouso de 20 minutos. Coleta da amostra basal para dosar Cortisol. Administrar via endovenosa uma ampola de cortrosina simples (ACTH sintético 0,25 mg). Coletar amostras de soro nos tempos 30, 60 e 90 minutos ou conforme orientação médica. Manter o paciente em repouso relativo. Dosar cortisol em todos os tempos. **** Importante **** Volume mínimo de 540 uL

Interpretação:

Uso: determinação da resposta adrenal ao ACTH; diagnóstico diferencial de insuficiência adrenal. Este teste, ao utilizar uma forma sintética de ACTH de ação rápida, causa um aumento súbito na concentração do cortisol sérico. Em pacientes com insuficiência adrenal, não existem mudanças na concentração do cortisol. Pacientes com causas secundárias de insuficiência adrenal apresentam mudanças pequenas na cortisolemia, devendo ser investigados com outros protocolos. Na doença de Addison, os valores não apresentam alterações (resposta normal ao teste exclui insuficiência adrenal primária), enquanto que em hiperplasia adrenal congênita, os níveis de cortisol sobem 4-6 vezes o valor basal.

Referência:

Normal: o pico de cortisol excede 30,0 ug/dL em
relação ao basal ou incremento de 50%.