MIOGLOBINA

Código:

MIO

Sinônimo:

MIO

Material:

SORO MIO

Volume:

2,0 mL

Método:

Eletroquimioluminescência

Volume Lab:

2,0 mL

Rotina:

Diária

Resultado em:

Interferentes:

Ictéricia (concentrações de bilirrubina acima de 65mg/dL), Hemólise (concentrações de hemoglobina acima de 1,4g/dL) e Lipemia (concentrações de triglicerídeos acima de 2200mg/dL). As amostras não devem ser colhidas em pacientes em tratamento com doses elevadas de biotina (i.e. > 5 mg/dia) até no mínimo 8 horas após a última administração de biotina.

5 dia(s)

Temperatura:

Refrigerado

Estabilidade da amostra:

Ambiente

Refrigerado

Freezer

Hora

Hora

Hora

0

168

2160

Coleta:

Jejum não necessário; - Coletar amostra em tubo gel; - Aguardar 30 min para retração do coagulo; - Realizar a centrifugação em 3.200 RPM por 12 min; - Encaminhar amostra sob refrigeração, de 2ºC a 8ºC. **** Importante **** Volume mínimo de 540 uL

Interpretação:

É uma hemeproteína ligadora de oxigênio, presente no citoplasma das células do músculo esquelético e cardíaco. É liberada para a circulação após a lesão celular que ocorre no infarto agudo do miocárdio (IAM). Começa a se elevar cerca de duas horas após o início dos sintomas pode atingir níveis 10 vezes acima do limite superior da normalidade, atingindo o pico em 6 a 9 horas e retornando à normalidade de 24 a 48 horas após o infarto. Seu pequeno peso molecular permite o rápido deslocamento para a circulação sanguinea sem passar pelos vasos linfáticos. Alguns estudos sugerem que a dosagem de mioglobina pode ser importante, nos setores de emergência, como triagem no diagnóstico precoce do IAM, contudo, valores elevados devem ser interpretados com cautela, caso o paciente tenha alguma disfunção renal ou lesão da musculatura esquelética, condições que também elevam o nível de mioglobina. Devido a estas limitações, um resultado normal em paciente admitido entre duas e 12 horas após o início da dor peitoral pode ajudar a afastar o diagnóstico de IAM,m porém, um resultado alterado exige confirmação por um marcador cardíaco mais específico. Indicações: Avaliação de lesão isquêmica do miocárdio e outras lesões musculares Interpretação clínica: Níveis elevados: nos pacientes com infarto do miocárdio os níveis de mioglobina elevam-se nas primeiras 1 a 3 horas após o infarto, com pico entre 6 e 9 horas e duração de 12 a 24 horas, com aumentos de até dez vezes o valor normal. Apresenta sensibilidade de 75% a 95% no pico e especificidade de 70%. Dosagens seriadas de mioglobina que duplicam em intervalos de 1 a 2 horas, mesmo que dentro dos limites da normalidade, também, podem indicar infarto agudo do miocárdio. A elevação da mioglobina ocorre antes das enzimas cardíacas CK e CK-MB, devido ao seu baixo peso molecular e ao rápido deslocamento para a circulação. Também devido ao seu baixo peso molecular, a mioglobina é rapidamente filtrada e excretada pelos rins, retornando rapidamente aos níveis normais. Os níveis de mioglobina correlacionam-se com a extensão do infarto. Apresenta alto valor preditivo negativo e valores normais em 1 a 3 horas após o início do quadro, dificilmente referem-se a infarto do miocárdio. Os níveis de mioglobina também estão elevados após cardioversão ou convulsões. Valores elevados também podem ser encontrados nas lesões da musculatura esquelética, rabdomiólise, traumas, exercícios, queimaduras, isquemia, hipertermia maligna, dermatomiosite, polimiosite, miopatias inflamatórias, distrofia muscular, injeção intramuscular, choque, pacientes usuários de cocaína, doentes com terapia trombolítica, pós realização de exercícios e insuficiência renal. Em pacientes com comprometimento renal, resultados elevados de mioglobina devem ser interpretados com cuidado. Níveis baixos: níveis diminuídos de mioglobina podem ser observados em pacientes com anticorpos antimioglobina (alguns pacientes com polimiosite), artrite reumatóide e miastenia gravis. Sugestão de leitura complementar: Ferri. In: Ferri's Clinical Advisor, 1 st Ed, Mosby, 2012 Lewandrowski K. Point-of-care testing for cardiac markers in acute coronary syndromes and heart failure. Clin Lab Med 2009; 29(3): 561-71

Referência:

21,0 a 72,0 ng/mL