MACROPROLACTINA

Código:

MACRO

Sinônimo:

PRL

Material:

Soro

Volume:

1,0 mL

Método:

Quimioluminescência, precipitação com PEG

Volume Lab:

1,0 mL

Rotina:

Diária

Resultado em:

Interferentes:

Ictéricia (concentrações de bilirrubina acima de 20mg/dL), Hemólise (concentrações de hemoglobina acima de 500mg/dL) e Lipemia (concentrações de triglicerídeos acima de 3000mg/dL)

48 horas

Temperatura:

Refrigerado

Estabilidade da amostra:

Ambiente

Refrigerado

Freezer

Hora

Hora

Hora

0

168

4320

Coleta:

Jejum não necessário. O paciente deve fazer repouso de pelo menos 20 minutos.

Interpretação:

A pesquisa de macroprolactina é importante em todos os casos em que níveis elevados de prolactina forem encontrados, especialmente nos pacientes oligo ou assintomáticos. Assim, procedimentos propedêuticos de alto custo e risco para o paciente podem ser evitados. Em pacientes normo e hiperprolactinêmicos, a principal isoforma circulante da prolactina (PRL) é a monomérica. Alguns indivíduos apresentam hiperprolactinemia por predomínio de macroprolactina. Trata-se de complexos de moléculas de PRL com imunoglobulina G (IgG), de alto peso molecular e baixa atividade biológica. Geralmente, este fenômeno é observado em pacientes nos quais a PRL está elevada sem que tenham manifestações clínicas de hiperprolatinemia. Nesse caso solicita-se ao laboratório a dosagem de macroprolactina, quando então é realizada a adição de polietilenoglicol (PEG) em parte igual à de soro o que fará com que os complexos PRL-IgG precipitem, restando no sobrenadante as moléculas de PRL não complexadas com IgG. A PRL é, então, novamente dosada no sobrenadante. OBS: A pesquisa de macroprolactina somente será realizada em casos que a prolactina sérica encontrar-se maior que o valor de referência.

Referência:

Prolactina

Feminino: 4,79 a 23,30 ng/mL

Masculino: 4,04 a 15,20 ng/mL

Percentual de recuperação:
Maior que 65%: Ausência de macroprolactina
Entre 30% e 65%: Indeterminada
Menor que 30%: Presença de macroprolactina

*O resultado liberado de prolactina não é corrigi-
do após a precipitação da macroprolactina.