INTERLIGADORES C-TERMINAIS DO COLAGENO TIPO I

Código:

CTX

Sinônimo:

Telopeptídeo carboxiterminal do colágeno tipoI,CTX

Material:

SORO CTX

Volume:

2,0 mL

Método:

Eletroquimioluminométrico

Volume Lab:

2,0 mL

Rotina:

Diária

Resultado em:

Interferentes:

Ictéricia (concentrações de bilirrubina acima de 65mg/dL), Hemólise (concentrações de hemoglobina acima de 500mg/dL) e Lipemia (concentrações de triglicerídeos acima de 1500mg/dL). As amostras não devem ser colhidas em pacientes em tratamento com doses elevadas de biotina (i.e. > 5 mg/dia) até no mínimo 8 horas após a última administração de biotina.

5 dia(s)

Temperatura:

Congelado

Estabilidade da amostra:

Ambiente

Refrigerado

Freezer

Hora

Hora

Mes

6

8

3

Coleta:

A coleta deve ser feita preferencialmente até duas horas após o horário habitual de o cliente acordar. Em amostras subseqüentes, nos casos de monitorização, é importante manter a coleta sempre no mesmo horário. As amostras de soro permanecem estáveis a - 20°C por 3 meses, congelar apenas uma vez e encaminhar o material em gelo seco; Evitar hemólise. **** Importante **** Volume mínimo de 600 uL

Interpretação:

Devido à atividade osteoclástica, durante a fase de reabsorção, no processo de remodelação óssea, o colágeno tipo I é degradado em pequenos fragmentos que circulam na corrente sanguínea e são excretados pelos rins. Entre estes fragmentos está o CTx. A principal indicação para a dosagem desses marcadores é a indicação e monitoração da terapia anti-reabsortiva, hormonal ou não. Indicações: Niveis elevados sao encontrados em criancas, pacientes com osteoporose, osteomalacia, osteodistrofia renal, em uso de corticoide, Doença de Paget, hiperparatireoidismo e hipertireoidismo. Recomenda-se a determinação dos telopéptidos terminal C para monitorização da eficácia da terapêutica anti-reabsorção (p. ex., bifosfonato ou terapêutica hormonal de substituição) na osteoporose ou em outras doenças ósseas. Desta forma, as alterações induzidas pela terapêutica podem ser demonstradas ao fim de apenas algumas semanas. Interpretação clínica: Reflete precocemente as alterações no processo de remodelação óssea, que levam meses para ser visualizadas pela densitometria óssea. Sugestão de leitura complementar: Bergmann P, body JJ, Boonen S, boutsen Y, Devogelaer JP, Goemaere S, et al. evidence-based guidelines for the use of biochemical markers os bone turnover in the selection and monitoring of bisphosphonate treatment in osteoporosis: a consensus document of theBelgian bone Club. Int J clin Pract 2009; 63(1): 19-26 Garnero P, Sornay- Rendu E, Claustrat B, Delmas PD. Biochemical markers of boné turnover, endogenous hormones and the risk of fractures in postmenopausal women: the OFELY study. J Bone Miner Res 2000: 15(8): 1526-36

Referência:

Mulher:
pré menopausa : 0,025 - 0,573 ng/mL
pós menopausa : 0,106 - 1,008 ng/mL
homem :
30-50 anos : 0,016 - 0,584 ng/mL
51-70 anos : 0,000 - 0,704 ng/mL
> 71 anos : 0,000 - 0,854 ng/mL