IMUNOGLOBULINA E - IgE

Código:

IGE

Sinônimo:

IgE quantitativa; IgE

Material:

Soro

Volume:

1,0 mL

Método:

Fluorescência Enzimática (FEIA) - Immunocap

Volume Lab:

1,0 mL

Rotina:

Diária

Resultado em:

Interferentes:

Utilização de drogas que diminuam a disponibilidade de IgE como o Xolair (Omalizumabe).

2 dia(s)

Temperatura:

Refrigerado

Estabilidade da amostra:

Ambiente

Refrigerado

Freezer

Dia

Dia

0

5

0

Coleta:

Preparo: Este exame não necessita de jejum. Recipiente: Tubo seco ou gel separador Coleta: Realizar coleta utilizando material e recipiente adequados. Aguardar 30 min para retração completa do coágulo. Centrifugar a amostra a 3200 rpm por 12 minutos e acondicionar corretamente.

Interpretação:

A dosagem de IgE é principalmente usada para a identificação de doenças alérgicas ou para se prever o risco de desenvolvimento das mesmas. Pode ser usada também como método laboratorial para diagnóstico de aspergilose broncopulmonar alérgica (ABPA), mieloma IgE e síndrome de hiper IgE. Indicação: É usada preferencialmente em pacientes nos quais o teste cutâneo não possa ser realizado como: presença de dermografismo, ictiose ou eczema generalizado; uso de anti- histamínicos ou corticóide que possam afetar a leitura do teste cutâneo; pacientes não cooperativos; em indivíduos com risco de anafilaxia. Interpretação clínica: Nível aumentado de IgE em crianças é sugestivo de alergia, excluindo-se outras doenças que possam cursar com aumento da mesma como parasitoses intestinais. Níveis normais de não excluem o diagnóstico de alergia. Níveis aumentados, principalmente em adultos, podem estar associados a outras doenças. O nível de anticorpos encontradas nem sempre se correlaciona com o risco ou intensidade dos sintomas. É importante analisar o resultado com cautela associando com a clínica, além de outros exames complementares quando indicados, como teste cutâneo e IgE específica, por exemplo. Causas de aumento, além de quadros alérgicos: dermatite atópica, doencas parasitárias, mieloma IgE, Síndrome de hiper-IgE, síndrome de Wiskott-Aldrich, ABPA, filariose pulmonar, nefrite intersticial por drogas, alguns estágios de infecção pelo HIV e doença enxerto x hospedeiro. Causas de diminuição: deficiência hereditária, imunodeficiência adquirida, telangectasia-ataxia, mieloma não IgE

Referência:

Menores que 1 ano: Inferior a 15,0 KU/L
1 a 3 anos: Inferior a 30,0 KU/L
3 a 9 anos: 2,5 - 99,0 KU/L
9 a 10 anos: 2,4 - 156,0 KU/L
10 a 11 anos: 6,0 - 123,0 KU/L
11 a 12 anos: Inferior a 230,0 KU/L
12 a 13 anos: 4,8 - 320,0 KU/L
13 a 14 anos: 8,9 - 240,0 KU/L
14 a 15 anos: 4,8 - 160,0 KU/L
> 15 anos: Inferior a 156,0 KU/L