HTLV WESTERN BLOT

Código:

HTLVW

Sinônimo:

W Blot para HTLV

Material:

Soro

Volume:

2,0 mL

Método:

Western blot

Volume Lab:

2,0 mL

Rotina:

Diária

Resultado em:

Interferentes:

Amostra lipêmica, ictérica ou contaminada.

10 dia(s)

Temperatura:

Refrigerado

Estabilidade da amostra:

Ambiente

Refrigerado

Freezer

Hora

Dia

Dia

0

7

30

Coleta:

Orientações de coleta: 1 - Coletar amostra em tubo gel; 2 - Aguardar 30 min para retração do coagulo; 3 - Realizar a centrifugação em 3.200 RPM por 12 min; 4 - Encaminhar amostra sob refrigeração, de 2ºC a 8ºC. ********* Importante ********** Volume mínimo 300 uL

Interpretação:

Este exame é útilizado para confirmar a positividade do teste imunoenzimático (ELISA) e, a partir das bandas de proteínas detectadas, identificar o tipo de infecção, se é pelo vírus HTLV-1 ou pelo HTLV-2. Indicações: Confirmação em casos de positividade no método de triagem de ensaio imunoenzimático. Interpretação clínica: São discriminadas as bandas positivas do vírus e a sua intensidade: - Reagente para HTLV-1: reatividade para GAG (p19 com ou sem p24) e mais 2 proteínas do ENV (GD21 e rgp 46-I). - Reagente para HTLV-2: reatividade para GAG (p24 com ou sem p19) e mais 2 proteínas do ENV (GD21 e rgp 46-II). - Reagente para HTLV: reatividade para GAG (p19 e p24) e para proteína do ENV (GD21). Neste caso não é possível identificar entre os 2 tipos de vírus. - Indeterminado: outras combinações de reatividade das bandas. - Negativo: nenhuma reatividade para bandas específicas do HTLV. Sugestão de leitura complementar: Figueiró-Filho Ernesto Antonio, Senefonte Flávio Renato de Almeida, Lopes Alessandro Henrique Antunes, et al . Freqüência das infecções pelo HIV-1, rubéola, sífilis, toxoplasmose, citomegalovírus, herpes simples, hepatite B, hepatite C, doença de Chagas e HTLV I/II em gestantes, do Estado de Mato Grosso do Sul. Rev. Soc. Bras. Med. Trop. 2007; 40( 2 ): 181-7.

Referência:

Ausente