Genotipagem de HIV

Código:

HIVGE

Sinônimo:

HIV - sequenciamento

Material:

Plasma EDTA K2 GBO + Sangue EDTA

Volume:

4,0 mL EDTA + 5,0 mL EDTA K2

Método:

RT-PCR e Sequenciamento Automático de cDNA

Volume Lab:

4,0 mL EDTA + 5,0 mL EDTA K2

Rotina:

Diária

Resultado em:

Interferentes:

15 dia(s)

Temperatura:

Refrigerado

Estabilidade da amostra:

Ambiente

Refrigerado

Freezer

Hora

Hora

Hora

0

120

0

Coleta:

Coletar 1 tubo de sangue total-EDTA e 1 tubo de plasma-EDTA K2 Gel GBO, enviar refrigerado. DOCUMENTO OBRIGATÓRIO: Enviar o Questionário. Sessão de downloads site Alvaro: REQ02032 - Questionário de genotipagem para o vírus HIV 1 - V4.0 Processamento da amostra coletada em EDTA K2 Gel GBO: O material deve ser centrifugado logo após a coleta por 10 minutos a 1.100G* e enviado refrigerado. Enviar o tubo EDTA K2 Gel GBO sem manipulação, ou seja, no tubo primário. Os materiais que chegarem em temperatura ambiente serão considerados como LIMITADOS para a quantificação e/ou detecção viral e a interpretação do resultado será restrito. *3137 RPM (centrifuga com raio de 10cm) *2480 RPM (centrifuga com raio de 16cm) *2118 RPM (centrifuga com raio de 22cm) ***** Importante ***** - Para realização do exame enviar no mínimo 2500uL.

Interpretação:

A genotipagem (sequenciamento de DNA) é o método de escolha para a identificação de mutações nos genes da protease e da transcriptase reversa do HIV-1, podendo predizer um possível fracasso terapêutico e relacionando que drogas não devem ser utilizadas na terapia anti-retroviral. Os resultados são interpretados em associação a dados referentes a tratamentos prévios e outras informações clínicas e laboratoriais relevantes. Sinônimos: Resistência a inibidores de protease e inibidores de transcriptase reversa; detecção de mutações associadas a resitência aos inibidores da protease e da RT. Indicação: Pacientes infectados por HIV-1 que exibem fracasso à terapia anti-retroviral e apresentam níveis de RNA viral superiores a 1.000 cópias por mililitro de sangue. Amostras com valores inferiores podem apresentar quantidades insuficientes de cDNA para as reações de amplificação e sequenciamento nucleotídico. Heterogeneidade genética viral e inibidores endógenos também podem impedir a obtenção de resultados favoráveis. O paciente deve estar usando a medicação pois as mutações deixam de ser detectadas após a suspensão do medicamento. Interpretação clínica: O teste é capaz de detectar mutações que estejam presentes em pelo menos 30% da população viral presente no paciente. O resultado deve ser interpretado em conjunto com a história dos medicamentos usados pelo paciente. Quando uma droga é suspensa, as mutações que geram resistencia a ela podem diminuir proporcinalmente em relaçao ao virus selvagem, e por este motivo deixam de ser detectadas. As cepas resistentes permanecem no individuo porém em proporção menor que a sensibilidade do teste que é de 30%. A proporção da cepa resistente aumenta quando a droga é reintroduzida. Por este motivo o teste indica as drogas em que o paciente não vai responder (para as quais mutações foram detectadas) do que as drogas que ele vai responder. Sugestão de leitura complementar: Shafer RW. Genotypic testing for human immunodeficiency virus type 1 drug resistance Clinical Microbiology Reviews 2002; 15:247-77.

Referência:

NNRTIs - Inibidores da Transcriptase Reversa
não Analogos de Nucleosideos.
NRTIs - Inibidores da Transcriptase Reversa
Analogos de Nucleosideos.
PIs - Inibidores da Protease.