DOENÇA DE WHIPPLE - TROPHERYMA WHIPPELII

Código:

TWPCR

Sinônimo:

Lipodistrofia intestinal

Material:

Sangue EDTA EXT

Volume:

5,0 mL

Método:

Reação em Cadeia da Polimerase (LOINC®: PCR)

Volume Lab:

5,0 mL

Rotina:

Resultado em:

Interferentes:

30 dia(s)

Temperatura:

Refrigerado

Estabilidade da amostra:

Ambiente

Refrigerado

Freezer

Hora

Dia

Hora

0

720

0

Coleta:

Sangue total-EDTA, LCR, LIQUIDO ARTICULAR, LIQUIDO PERICÁRDICO, TECIDO (EM BLOCO DE PARAFINA).

Interpretação:

Trata-se de bactéria gram positiva causadora de doença multissistêmica rara da família das Actinobacterias e grupo Actinomycetes, que causa a doença de Whipple, uma enfermidade caracterizada pela presença de artralgia, diarreia, dores abdominais, perda de peso, linfadenopatia febre e aumento da pigmentação da pele. A doença de Whipple (lipodistrofia intestinal) é uma afecção rara que afecta principalmente homens entre os 30 e 60 anos de idade. O revestimento mucoso do intestino delgado é sempre gravemente afectado, mas a infecção também pode estender-se a outros órgãos, como o coração, os pulmões, o cérebro, as articulações e os olhos. Indicações: Diagnóstico de doença de Whipple, que, por ter formas de apresentação variadas e por se tratar de doença rara é muitas vezes diagnosticada tardiamente. O PCR é importante, principalmente se o exame anatomo-patológico não for possível ou se houver dúvidas em relação aos achados histológicos Interpretação clínica: O exame, realizado por extração de DNA de amostra de sangue periférico, utiliza primers específicos de fragmento de DNAr 16S de Tropheryma whippelli. O exame tem sensibilidade de 99% e especificidade de 98%. Quando há acometimento do sistema nervoso Central (SNC) o exame pode ser realizado no liquor. Sugestão de leitura complementar: Flemmer M, Flenner R. Toward a New Understanding of Whipple's Disease Current. Gastroenterology Reports 2000; 2: 299--304 Schaffner A, Schneemann M. Whipple's disease - from enigma to genomics (Commentary). Lancet 2003; 361: 632-40.

Referência:

Não detectável

TÉCNICA APLICADA:
Extração de DNA de amostra de sangue periférico,
mediante utilização do kit MagNA Pure (Roche Diag-
nostics). Utilização de primers específicos de um
fragmento de DNAr 16S de Tropheryma whippelli, se-
gundo protocolo descrito por Ramzan et al. (1997).
Detecção do produto amplificado através de eletro-
forese em gel de agarose corado com brometo de
etídio. Amplificação de um fragmento do FV como
controle interno de extração e amplificação.
Este estudo tem uma sensiblidade de 99% e uma
especificidade de 98%.