CRIOAGLUTININAS - Pesquisa

Código:

AUTO

Sinônimo:

Criohemolisina, aglutinina fria

Material:

Plasma AUTO

Volume:

3,0 mL

Método:

Aglutinação

Volume Lab:

3,0 mL

Rotina:

Diária

Resultado em:

Interferentes:

Não realizar o Pré-aquecimento do tubo e mantê-lo em temperatura ambiente; Envio do tubo para análise na temperatura incorreta; Hemólise e amostras enviadas fora da preconização pré-analítica.

4 dia(s)

Temperatura:

Ambiente

Estabilidade da amostra:

Ambiente

Refrigerado

Freezer

Hora

Hora

Dia

48

0

0

Coleta:

Orientações de coleta - Pré-aquecer o tubo de coleta EDTA a 37°C em termobloco por 30 minutos antes da coleta; - Realizar a coleta conforme técnica de punção venosa; - Homogeneizar, delicadamente, por inversão, de 5 a 8 vezes; - O tubo de EDTA deve permanecer em temperatura ambiente; - Encaminhar a amostra em temperatura amabiente. - O plasma obtido do material centrifugado (tubo EDTA) deve ser separado em tubo de transporte, com o uso de pipeta descartável; - O tubo deverá ser encaminhado devidamente identificado e em acondicionamento ambiente (15 a 30ºC); Este material NÃO DEVE ser refrigerado antes da realização do exame.

Interpretação:

O exame se refere à dosagem de anticorpos, geralmente IgM dirigidos contra o antígeno I da membrana eritrocitária, que aglutinam hemácias humanas a 4 C, mas não a 37 C. Esta resposta não é específica, mas apresenta-se muito aumentada em infecção por Mycoplasma pneumoniae.. Sinônimos: Criohemolisina, aglutinina fria; aglutinina ao frio, auto-aglutinina. Indicações: Pesquisa de pneumonia por Mycoplasma. Interpretação clínica: A positividade sugere infecção por Mycoplasma pneumoniae. O título se eleva uma semana após o início dos sintomas, aumentando progressivamente na segunda e terceira semana. Se existe suspeita clínica e os títulos não alcançaram valores elevados, deve-se repetir o exame após uma semana. Em população normal pode ocorrer a presença de crioaglutinina, porém apenas em títulos inferiores a 1/32. Outras causas de altos títulos são: infecções por influenza, pneumonias produzidas por Legionelas ou vírus, mononucleose infecciosa, doenças do colágeno, linfomas, anemias hemolíticas autoimunes, hepatite e cirrose hepática. Sugestão de leitura complementar: Diferentes apresentações clínico-radiológicas da pneumonia por Mycoplasma pneumoniae R de Casos - J Pediatr (Rio J), 2000. Disponível em http://www.jped.com.br/conteudo/00-76-04-315/port_print.htm, consulta em 02 de fevereiro de 2015.

Referência:

Negativo

Metodologia desenvolvida e validada pelo
Alvaro Centro de Análises e Pesquisas Clínicas.