CALPROTECTINA

Código:

CALPRO

Sinônimo:

Material:

Fezes

Volume:

2,0 g

Método:

Fluorimetria

Volume Lab:

2,0 g

Rotina:

Diária

Resultado em:

Interferentes:

03 dia(s)

Temperatura:

Refrigerado

Estabilidade da amostra:

Ambiente

Refrigerado

Freezer

Hora

Hora

Mes

0

144

3

Coleta:

Orientações de coleta: 1 - Recolher as fezes diretamente no frasco estéril; 2 - Não coletar do vaso sanitário; 3 - Encaminhar amostra sob refrigeração, de 2ºC a 8ºC. O congelamento das amostras podem resultar em um leve declínio da concentração de Calprotectina, devido à presença de neutrófilos na amostra.

Interpretação:

Os níveis de calprotectina plasmática (MRP8/14) são aumentados em várias condições inflamatórias. A concentração de calprotectina nas fezes é maior do que no plasma e níveis significantemente elevados em fezes são encontrados em pacientes com Doença Inflamatória Intestinal (DII), considerando que os níveis não são elevados em pacientes com doenças não orgânicas, com doenças funcionais, por exemplo a Síndrome do Intestino Irritável (SII). Calprotectina (CP) é uma proteína anti-microbiana liberada pelos neutrófilos polimorfonucleares no intestino frente a uma exposição da muscosa à uma inflamação. Quando ligada ao cálcio, pode resistir à degradação por enzimas leucocitárias e bacterianas. Está presente nas fezes em concentração mais alta comparada aos seus níveis de plasma (aproximadamente cerca de 6 vezes). Os valores da calprotectina fecal têm correlação proporcional ao grau de inflamação da mucosa intestinal, sendo este portanto, um marcador sensível e específico para detectar inflamação intestinal. A associação dos dois marcadores fecais não aumenta a possibilidade de detecção da atividade inflamatória; portanto podem ser usados isoladamente. Valores aumentados: diversos processos inflamatórios intestinais localizados tanto no intestino delgado quanto no cólon (infecções gastro-intestinais, cancêr de colo-retal); pacientes tratados recentemente com anti-inflamatórios não-esteróides embora apresentem uma colonoscopia normal; cirrose hepática. Crianças saudáveis em seu primeiro ano de vida podem apresentar valores elevados, sem uma explicação clara sobre o assunto. Indicações: Diagnóstico diferencial entre DII e SII Interpretação clínica: É considerada um indicador confiável de inflamação em várias doenças. Estudos mostram que a concentração de calprotectina fecal é significantemente elevada em pacientes com DII e que se correlaciona bem com avaliação endoscópica e histológica da atividade da doença; já pacientes comI não demonstram aumento nos níveis fecais de calprotectina. A Calprotectina pode ser afetada em pacientes que utilizam medicamentos antiinflamatórios não esteróides (AINEs), perda de sangue superior a 100 ml e por tumores malignos. Sugestão de leitura complementar: BurrI E, et al. Monoclonal antibody testing for fecal calprotectin is superior to polyclonal testing of fecal calprotectin and lactoferrin to identify organic intestinal disease in patients with abdominal discomfort. Clin Chim Acta 2013; 416: 41-7. Pavlidis P, Chedgy F J, Tibble J A. Diagnostic accuracy and clinical application of faecal calprotectin in adult patients presenting with gastrointestinal symptoms in primary care. Scand J Gastroenterol 2013; 48: 1048-54.

Referência:

Não reagente: Inferior ou igual à 50 mg/kg

Reagente: Superior à 50 mg/kg


Valores de calprotectina entre 50 e 200mg/kg podem
indicar doenças orgânicas leves tais como inflama-
ções causadas por NSAIDs(drogas anti-inflamatórias
não esteroidais),diverticulite suave e IBD(doença
inflamatória do intestino)em fase de remissão. A
baixa resposta inflamatória mostrada dentro desta
faixa pode sugerir que se repitam as medições em
um curto prazo e sejam realizadas mais investiga-
ções. Sugerimos que seja traçado um perfil do
paciente para estabelecimento de seu próprio ponto
de corte durante as fases de doença, tratamento e
remissão para melhor acompanhamento clínico.