VANÁDIO SÉRICO

Código:

VANA

Sinônimo:

Material:

Soro-Trace sem aditivo

Volume:

4,0 mL

Método:

ICP-MS (Plasma Indutivamente Acoplado ao Espectrometro de Massa)

Volume Lab:

5,0 mL

Rotina:

Diária

Resultado em:

Interferentes:

10 dia(s)

Temperatura:

Refrigerado

Estabilidade da amostra:

Ambiente

Refrigerado

Freezer

Hora

Hora

Hora

0

168

0

Coleta:

Preparo: - Jejum não necessário Recipiente: - Tubo trace sem aditivo (coleta) - Tubo transporte (envio amostra) Coleta: Realizar coleta utilizando material e recipiente adequados. Coletar a amostra em tubo do tipo Trace sem aditivo premium 6 mL GBO (Ref.456001) e sem ativador de coágulo. NUNCA COLETAR EM OUTRO TIPO DE TUBO (Ex. gel, ativador do coagulo). Aguardar a retração de coágulo (1h30min em banho a 37°C), realizar centrifugação das amostras a 3.200rpm por 12min , separar o soro e transferir por inversão para um tubo transporte 4 mL GBO (ref.454107) Encaminhar a amostra sob o acondicionamento Refrigerado (2 a 8 ºC) sem contato direto com o gelo. Critérios de rejeição: -Amostra sem identificação; -Amostra inadequada (hemólise ou lipemia); -Tubo de coleta danificado; -Amostra coagulada; -Contaminação evidente na amostra.

Interpretação:

A toxicidade pelo vanádio é geralmente associada à exposição no trabalho na indústria. Raramente se deve à ingestão de medicamentos contendo o metal. Indicação: Avaliação do grau de exposição ao vanádio. Interpretação clínica: A maioria do vanádio ingerido não é absorvida (>85%), sendo excretada nas fezes. A excreção urinária é insignificante. A ingesta normal de vanádio varia de 6 a 20 µg/dia e níveis acima destes são passíveis de causar toxicidade.

Referência:

< 10 mcg/L