TIREOGLOBULINA

Código:

TIREO

Sinônimo:

TG, HTG

Material:

Soro

Volume:

1,0 mL

Método:

Eletroquiminoluminescência

Volume Lab:

1,0 mL

Rotina:

Diária

Resultado em:

Interferentes:

Ictéricia (concentrações de bilirrubina acima de 200mg/L), Hemólise (concentrações de hemoglobina acima de 30µL/mL) e Lipemia (concentrações de triglicerídeos acima de 3000mg/dL). Não utilizar plasma com EDTA.

36 horas

Temperatura:

Refrigerado

Estabilidade da amostra:

Ambiente

Refrigerado

Freezer

Hora

Hora

Hora

0

168

2160

Coleta:

Jejum não necessário - Informar os medicamentos em uso, especialmente hormônios tiroidianos e antiarrítmicos; - Coletar amostra em tubo gel; - Aguardar 30 min para retração do coagulo; - Realizar a centrifugação em 3.200 RPM por 12 min; - Se necessário aliquotar em tubo de transporte; - Encaminhar amostra sob refrigeração, de 2ºC a 8ºC. **** Importante **** Volume mínimo de 570 uL

Interpretação:

A tireoglobulina (TG) é o principal marcador tumoral do câncer diferenciado de tireoide (CDT). A concentração da TG em uma determinada amostra de soro pode variar em função do método utilizado. Nos últimos anos ensaios com sensibilidade funcional mais baixa estão disponíveis largamente na prática clínica e, atualmente, disponíveis para uso. São ensaios mais sensíveis, mas menos específicos uma vez que podem dar resultados positivos em paciente livre de doença. Indicações: Monitoração pós tratamento do câncer diferenciado de tireóide. Interpretação clínica: No carcinoma diferenciado da tireoide (CDT), após tireoidectomia total: - TG pré-ablação com Na131I: estimulada por rhTSH, abaixo de 1 a 2 ng/mL [com ultrassonografia (US) cervical negativa] indica bom prognóstico. Abaixo de 10 ng/mL, relaciona-se com ausência de metástases a distância. - TG 6 meses pós-ablação com Na131I, em supressão do TSH: menor ou igual a 1 ng/mL com ATG negativos sugere paciente livre de doença. - TG 9 a 12 meses após ablação com Na131I, com TSH elevado por interrupção do LT4 ou por administração de rhTSH (0,9 mg via intramuscular em 2 dias consecutivos, com dosagem de TG e ATG 72 h após a última injeção): TG estimulada inferior a 1 ng/mL com ATG negativos (e US cervical negativa) podem ser considerados livres de doença. Como atualmente os ensaios de TG altamente sensível estão largamente disponíveis, esse método vem sendo utilizado, nas avaliações anuais de rotina dos pacientes, com o ponto de corte de 0,1 a 0,2 ng/mL. Alguns serviços utilizam esse ponto de corte associado, à US cervical negativa como critério de cura, sem o estímulo pelo rhTSH. Pacientes com resultados entre esses valores e 1,0 ng/mL, indicando presença de tecido tireoidiano, ou são submetidos ao estímulo com rhTSH ou são mantidos em observação com nova dosagem em 6 meses a 1 ano, conforme o protocolo de cada serviço. Sugestão de leitura complementar: Graf H. Seguimento no câncer diferenciado de tireoide. In: Vencio S, Fontes R, Scharf M. Manual de Exames Laboratoriais na Prática do Endocrinologista. 1 Ed, Rio de Janeiro, Gen, 2013. Nascimento C, Borget I, Al Ghuzlan A, Deandreis D, Chami L, Travagli JP et al. Persistent disease and recurrence in differentiated thyroid cancer patients with undetectable postoperative stimulated thyroglobulin level. Endocr Relat Cancer. 2011 Apr; 18 (2): 29-40.

Referência:

Normais: 1,4 a 78,0 ng/mL