PARASITOLÓGICO - Primeira amostra

Código:

EPF1

Sinônimo:

Pesquisa de helmintos e protozoários nas fezes

Material:

Fezes - Primeira Amostra

Volume:

5,0 g

Método:

Hoffman e Ritchie

Volume Lab:

5,0 g

Rotina:

Diária

Resultado em:

Interferentes:

1 dia(s)

Temperatura:

Refrigerado

Estabilidade da amostra:

Ambiente

Refrigerado

Freezer

Hora

Dia

Hora

0

3

0

Coleta:

Preparo: Evitar o uso de antiácidos, laxantes e de contraste oral (utilizado em exames radiológicos) no mínimo 72 horas antes da coleta das fezes ou conforme orientação médica. Coleta: A amostra pode ser obtida de qualquer evacuação. Evitar o contato da amostra com urina ou água do vaso sanitário. 1. Defecar em vasilhame limpo e seco; 2. Com o auxílio da espátula, retirar frações de fezes em diferentes partes do bolo fecal (início, meio e fim), de modo que complete 1/2 (meio) frasco; 3. Tampar bem o frasco contendo a amostra, guardar em refrigerador e encaminhar ao laboratorio no mesmo dia da coleta.

Interpretação:

Por ser um exame relativamente rápido, o exame parasitológico de fezes é o mais utilizado para o diagnóstico de infestação por helmintos e protozoários em suas formas evolutivas. Não existe um exame capaz de evidenciar todas as formas parasitárias presentes nas fezes. Alguns métodos permitem detectar maior número delas; por outro lado, outros são mais específicos para determinado agente. Cada parasito, ou grupo de parasitos, possui características morfológicas e biológicas que permitem que técnicas eletivas sejam aplicadas para o seu diagnóstico. Para a correta interpretação do resultado do parasitológico de fezes é essencial o conhecimento dos ciclos de vidas dos parasitos e helmintos. A não observação de organismos não significa ausência de parasitismo, mas tão somente que não foram encontrados organismos naquele material. A fim de aumentar a sensibilidade do exame é recomendável, no mínimo, o exame de três amostras distintas. Também é essencial que se conheça os métodos e colorações disponíveis mais específicos para o organismo que se quer diagnosticar. Rotineiramente, o exame é realizado pelos métodos Hoffman e Ritchie. O método de Hoffman é mais eficiente na pesquisa de ovos de helmintos do que na detecção de cistos de protozoários já o método Ritchie permite uma boa concentração de parasitos. No entanto, outros métodos podem ser solicitados, na dependência da indicação do médico assistente. Ascaris lumbricoides: Hoffman, método direto e Kato-Katz, para a observação de ovos; Ancilostomideos: Hoffman, método direto, Kato-Katz e Willis, para a observação de ovos ou larvas; Schistosoma mansoni: sedimentação espontânea ou por centrifugação, método direto e Kato-Katz, para a observação de ovos; Strongyloides stercoralis: Baermann-Moraes e sedimentação espontânea ou por centrifugação, para a observação de larvas; Enterobius vermicularis: Graham (fita gomada), método direto, sedimentação espontânea ou por centrifugação e Kato-Katz, para a observação de ovos; Giardia lamblia, Entamoeba histolytica, Entamoeba coli, Endolimax nana, Iodamoeba bütschlii: Faust, Ritchie, Hoffman e método direto, para a observação de cistos, tricromio de Weatley e hematoxilina- eosina para a observação de cistos e trofozoitos; Cryptodsporidium spp, Isospora belli, Cyclospora caetanensis, Sarcocystis hominis: Zeel-Nielsen modificado (Henriksen & Pohlens) e safranina-azul de metileno; Taenia: Hoffman, método direto, Kato-Katz, para observação de ovos e tamização para a observação de proglotes; Trichuris trichiura: Hoffman, método direto, Kato-Katz.

Referência:

Ausente na amostra

ATENÇÃO: Alteração do valor de referência a partir
de 22/07/2019.

Valor de referência antigo: Negativo