MONONUCLEOSE - Anticorpos heterófilos

Código:

MONOC

Sinônimo:

Sorologia para o vírus Epstein baar, Paul Bunnel

Material:

Soro Manual

Volume:

2,0 m

Método:

Aglutinação

Volume Lab:

2,0 m

Rotina:

Diária

Resultado em:

Interferentes:

48h

Temperatura:

Refrigerado

Estabilidade da amostra:

Ambiente

Refrigerado

Freezer

Hora

Dia

Hora

0

7

72

Coleta:

Jejum não obrigatório. Orientações de coleta: 1 - Coletar amostra em tubo gel; 2 - Aguardar 30 min para retração do coagulo; 3 - Realizar a centrifugação em 3.200 RPM por 12 min; 4 - Encaminhar amostra sob refrigeração, de 2ºC a 8ºC.

Interpretação:

Uso: diagnóstico da mononucleose infecciosa; pesquisa de anticorpos heterófilos. Os anticorpos heterófilos reagem com antígenos de superfície de eritrócitos de carneiro e cavalo, mas não com antígenos de células renais de cobaia. Estes anticorpos estão presentes em cerca de 90% dos pacientes com mononucleose infecciosa (MI), durante algum momento da evolução da doença. Os títulos de anticorpos heterófilos diminuem após a fase aguda da mononucleose infecciosa, podendo ser detectados até 9 meses após o início da doença. A presença de anticorpos heterófilos em crianças pode dar resultados falso negativos em até 40% dos casos (em adultos até 10%). Por esta razão o uso da pesquisa de anticorpos específicos passa a ser rotina no diagnóstico laboratorial de MI. A confirmação do diagnóstico é feita com a pesquisa de anticorpos específicos da classe IgM contra o antígeno do vírus capsídeo (VCA). Estes anticorpos são detectados 1 a 2 semanas após a infecção.

Referência:

Não reagente : ausência de anticorpos
Reagente : presença de anticorpos
Pesquisa de anticorpos heterofilos
associados a mononucleose infecciosa
*** Outros testes disponiveis em nossa rotina ***
a. Anticorpos anti EB (IgG e IgM) -
QUIMIOLUMINESCÊNCIA.
Obs: Em criança é frequente a ausência de
antiCorpos heterofilos (Monotest e Paul Bunnel)
e reacoes positivas para Epstein baar
(Qumioluminescência).