GLOBULINA LIGADORA DE HORMONIOS SEXUAIS

Código:

SHBG

Sinônimo:

SHBG

Material:

Soro

Volume:

1,0 mL

Método:

Eletroquimioluminescência

Volume Lab:

1,0 mL

Rotina:

Diária

Resultado em:

Interferentes:

Hemólise acentuada

24 horas

Temperatura:

Refrigerado

Estabilidade da amostra:

Ambiente

Refrigerado

Freezer

Hora

Dia

Hora

0

7

0

Coleta:

Preparo: Este exame não necessita de jejum. Recipiente: Tubo seco ou gel separador Coleta: Realizar coleta utilizando material e recipiente adequados. Aguardar 30 min para retração completa do coágulo. Centrifugar a amostra a 3200 rpm por 12 minutos e acondicionar corretamente.

Interpretação:

Proteína de alta afinidade pelos hormônios esteroides, geralmente utilizada para o cálculo da testosterona livre e biodisponível. Eleva-se com o uso de estrogênios, tamoxifen, fenitoína, hormônios tireoidianos, e nos casos de hipertireoidismo e na cirrose. Diminui com o uso de androgênios, glicocorticóides, hormônio do crescimento, no hipotireoidismo, na acromegalia e na obesidade. Na resistência a hormônios tireoidianos, seus níveis mostram-se normais, apesar da elevação desses hormônios, ou baixos se o paciente for hipotireoideu. Indicações: Diagnóstico e acompanhamento de hiperandrogenismo; monitoração da terapia de reposição de esteróides sexuais e anti-androgênicos; possível auxiliar no diagnóstico e acompanhamento da resistência à insulina e avaliação de risco cardiovascular e diabetes tipo 2, especialmente em mulheres; como marcadora da atividade hormonal tireoidiana Interpretação clínica: Condições que podem cursar com SHBG baixa: hiperandrogenismo leve a moderado, especialmente síndrome dos ovários policísticos (SOP) com resistência à insulina e obesas; nas pacientes com resistência à insulina e risco aumentado para diabetes, SHBG baixa pode prever a resistência insulínica progressiva. Condições que podem cursar com SHBG elevada: puberdade precoce central ou por outra causa que leve a aumento de testosterona; anorexia nervosa; tireotoxicose; gestação; presença da variante genética Asp327-> Asn que tem degradação mais lenta da SHBG. Quando a avaliação do estado funcional tiroidiano é dificultado por fatores como o uso de amiodarona, alteração de proteínas transportadoras, suspeita de resistência ao hormônio da tireóide ou de tireotropinoma, a SHBG elevada sugere tireotoxicose, enquanto o nível normal indica eutireoidismo.

Referência:

Crianças de 0 a 18 anos:
Estágios Média de Intervalo de
de tanner Idade Referência (nmol/L)
F / M F / M
Estágio I 7.1 / 7.1 43-197 / 31-167
Estágio II 10.5 / 11.5 7.7-119 / 49-179
Estágio III 11.6 / 13.6 31-191 / 5.8-182
Estágio IV 12.3 / 15.1 31-166 / 14-98
Estágio V 14.5 / 18.0 18-144 / 10-57
F - Feminino / M - Masculino
Mulheres não grávidas: 18 - 144 nmol/L
Mulheres acima de 18 anos: 18 - 144 nmol/L
Homens: 10 - 57 nmol/L

Ref. Bibliográfica:
Elmlinger MW, Kuhnel W, Ranke MB: Reference ranges
for serum concentrations of lutropin (LH),folli-
tropin(FSH),estradiol(E2),prolactin,progesterone
sex hormone binding globulin(SHBG),dehydroepian-
drosterone sulfate (DHEA-S),cortisol and ferritin
in neonates,children,and young adults.Clin Chem
Lab Med 2002;40(11):1151-1160.