DETECÇÃO DE BK/JC POLIOMAVIRUS

Código:

JCBKPCR

Sinônimo:

JC vírus, BK vírus, Detecção por PCR

Material:

Sangue EDTA - Biomol

Volume:

5,0 mL

Método:

PCR em Tempo Real - Sistema FRET

Volume Lab:

5,0 mL

Rotina:

Diária

Resultado em:

Interferentes:

5 dia(s)

Temperatura:

Refrigerado

Estabilidade da amostra:

Ambiente

Refrigerado

Freezer

Hora

Hora

Hora

0

168

720

Coleta:

Realizado em: sangue total com EDTA, urina, lavado bronquico, aspirado nasofaringeo em frasco estéril (refrigerados); líquor e lavados em frasco estéril (congelados).

Interpretação:

Indicação: A suspeita clínica e a possibilidade de se realizar o diagnóstico definitivo e precoce de uma infecção por poliomavírus é fundamental para definir a sua terapêutica e prognóstico. Interpretação clínica: A suspeita clínica e a possibilidade de se realizar o diagnóstico definitivo e precoce de uma infecção por poliomavírus é fundamental para definir a sua terapêutica e prognóstico. Entre os transplantados de medula óssea, a reativação viral ocorre em 50 - 60% dos casos. A Leucoencefalopatia multifocal progressiva, cistite hemorrágica, disfunção hepática e pneumonia têm sido as manifestações clínicas mais comumente descritas. No transplante renal a prevalência de infecção latente por poliomavírus é alta e corresponde a cerca de 65% dos receptores de rim. As principais manifestações clínicas são: nefrite intersticial, estenose ureteral, infecção sistêmica ou câncer de bexiga. A presença de DNA de poliomavírus na amostra sugere uma reativação viral que pode ocorrer em diferentes momentos, especialmente em estados de imunossupressão em que a replicação viral é intensa e o sistema imune não é capaz de conter a infecção. O resultado deste teste deve ser analisado em conjunto com outros achados laboratoriais e com a clínica do paciente. O resultado Não Detectado não exclui a possibilidade da amostra apresentar poliomavírus (JCV e/ou BKV), pois a carga viral pode estar abaixo do limite de detecção do teste. Sugestão de leitura complementar: - Demeter LM. Clinical manifestations and diagnosis of JC, BK, and other polyomavirus infections. Up to Date, última revisão em 21 d eoutubro de 2013. Consulta em 13 de fevereiro de 2013. - Pires EP. Prevalência da infecção pelos polyomavirus JC e BK em pacientes com doença renal crônica e transplantados. Dissertação de mestrado, Universidade Federal do Pará, Belém, Pará, 2009.

Referência:

Não detectado
Não detectado