Cultura de Neisseria

Código:

CDST

Sinônimo:

Material:

Secrecao uretral

Volume:

Variável

Método:

Identificação por Técnicas Manuais e/ou Automatizadas - Espectrometria de massa Maldi Tof

Volume Lab:

Variável

Rotina:

Diária

Resultado em:

Interferentes:

4 dias

Temperatura:

Ambiente

Estabilidade da amostra:

Ambiente

Refrigerado

Freezer

Hora

Hora

Hora

48

0

0

Coleta:

Enviar placa semeada e já crescida nos meios de cultura - Ágar Chocolate e/ou Thayer Martin ou meio de transporte Amies. Materiais: Secreção Uretral, Vaginal e Esperma.

Interpretação:

Apesar da Organização Mundial da Saúde (OMS) considerar que a bacterioscopia deva ser o método escolha para o diagnóstico da infecção pela Neisseria no homem, em função de sua sensibilidade e especialidade, nas mulheres, em função do número de casos assintomáticos e da presença de um ecossistema vaginal, é indicada a cultura de amostras do canal endocervical. Indicação: Em pacientes do sexo masculino é recomendado o cultivo da secreção uretral sempre que, após exame bacterioscópico negativo, persistir a suspeita clínica, ou em casos de suspeita de resistência ao tratamento; pode ainda ser realizada em amostras da orofaringe e do canal anal, quando houver indicação. Em pacientes do sexo feminino, é recomendado cultivo da secreção endocervical como rotina diagnóstica; após a anamnese ou ainda quando houver sinais clínicos, recomenda-se o cultivo de amostra da orofaringe e do canal anal. Na oftalmia gonocócica, em recém-nascidos ou em adultos. Na infecção disseminada, por meio da cultura de sangue. No seguimento de tratamento. Interpretação clínica: As amostras clínicas submetidas a cultura devem ser semeadas imediatamente, pois a bactéria se auto-lisa com muita facilidade e é sensível a variações de temperatura. A sensibilidade quando o material é a secreção genital varia de . Sugestão de leitura complementar: Cultura, Isolamento e Identificação da Neisseria Gonorrhoeae. Ministério da Saúde Secretaria de Políticas de Saúde Programa Nacional de DST e Aids, Brasília. Disponível em http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/115_02cultura.pdf, consulta em 12 de novembro de 2014

Referência:

Negativa