CITOMEGALOVÍRUS - Anticorpos IgG - Líquor

Código:

CMVLI

Sinônimo:

Anticorpos anticitomegalovírus-IgG

Material:

Líquor infecciosos

Volume:

1,0 mL

Método:

Eletroquimioluminescência

Volume Lab:

1,0 mL

Rotina:

Diária

Resultado em:

Interferentes:

60 horas

Temperatura:

Refrigerado

Estabilidade da amostra:

Ambiente

Refrigerado

Freezer

Hora

Hora

Hora

0

168

0

Coleta:

Pelo médico assistente. O envio de amostra de liquor para este exame poderá ser feito em tubo de transporte, exceto quando cadastrado juntamente com exames de microbiologia, que obrigatoriamente deverá ser enviado no frasco original. **** Importante **** Volume mínimo de 540 uL

Interpretação:

Exame utilizado para o diagnóstico d einfecção pelo citomegalovírus ( CMV ), membro do grupo dos beta-herpesvírus. Assim como outros herpesvirus, o CMV está associado com infecção persistente, latente e recorrente (reativação de vírus latente), uma vez que permanece latente em monócitos, células progenitoras granulócitos-monócitos e talvez outros tipos celulares. Indicação: Diagnóstico de infecção agura, infecção recorrente ou reinfecção por CMV. Interpretação clínica: IgM positiva sugere infecção primária, porém já foram observadas IgM específica persistentes até 18 meses após a infecção primária. Amostras coletadas numa fase muito precoce podem não conter quantidade detectável de anticorpos IgM; nestes casos o exame deverá ser repetido após 7 dias de evolução. Durante a reativação do CMV pode não ser detectada a IgM. Em recém nascidos , pode-se observar IgM falso positivo devido à transferência materna de anticorpos. Quanto ao IgG, na fase aguda detecta-se estes anticorpos a partir de uma semana do início dos sintomas. Em casos de suspeita clínica de doença aguda, com IgG negativa o exame deve ser repetido após 10 a 14 dias do primeiro resultado. Aumentos significativos de anticorpos Ig G sugerem, mas não comprovam reativação de infecção. A positividade destes anticorpos também não garante proteção contra a doença, pois o CMV se caracteriza pela possibilidade de reinfecção por vírus exógenos ou reativação de vírus latente. Valores positivos de IgG também podem indicar infecção passada. Sugestão de leitura complementar: Leng SX, Qu T, Semba RD, Li H, Yao X, Nilles T, Yang X, Manwani B, Walston JD, Ferrucci L, et al. Relationship between cytomegalovirus (CMV) IgG serology, detectable CMV DNA in peripheral monocytes, and CMV pp65(495-503)-specific CD8+ T cells in older adults. Age 2011; 33(4):607-14.

Referência:

Não existe valor de referência preconizado para o
teste em líquor.