CA 19-9

Código:

CA19

Sinônimo:

CA GI, cancêr de colo-retal e neoplasias pancreas

Material:

Soro

Volume:

1,0 mL

Método:

Eletroquimioluminescência

Volume Lab:

1,0 mL

Rotina:

Diária

Resultado em:

Interferentes:

Hemólise acentuada com doses elevadas de biotina (i.e. > 5 mg/dia) até no mínimo 8 horas após a última administração de biotina.

1 dia(s)

Temperatura:

Refrigerado

Estabilidade da amostra:

Ambiente

Refrigerado

Freezer

Hora

Dia

Hora

0

14

0

Coleta:

Preparo: Este exame não necessita de jejum. Recipiente: Tubo seco ou gel separador Coleta: Realizar coleta utilizando material e recipiente adequados. Aguardar 30 min para retração completa do coágulo. Centrifugar a amostra a 3200 rpm por 12 minutos e acondicionar corretamente.

Interpretação:

Uso: monitoramento de neoplasias de pâncreas e câncer colo-retal. CA 19.9: Mucina de alto peso molecular e rica em carbohidratos utilizada na monitoração do tratamento de carcinomas, principalmente do pâncreas, e também nos do estômago, fígado, vias biliares e colon. Sinônimos: Antígeno de Câncer 19.9; marcador de câncer 19.9. Indicação: Monitorização do tratamento quanto à recidiva e presença de metástases de carcinomas, principalmente os do pâncreas. Associado e métodos de imagem, pode ser um adjuvante para o diagnóstico. Interpretação clínica: Tem utilidade limitada no diagnóstico do Ca de pâncreas encontrando-se positivo em 70-80% dos casos e seus níveis têm correlação com o tamanho do tumor - níveis mais elevados são observados em tumores com mais de 5 cm. É o marcador com melhor acurácia para a monitoração após o tratamento. Em outros Ca do sistema gastrointestinal tem baixa sensibilidade: Ca colorretais = 53%, gástricos = 25% e esofageanos = 18% . A especificidade é de 86%, se analisados em conjunto. Também pode estar positivo nos de pulmões, mamas, renais e de próstata. Se combinado com CEA a sua sensibilidade aumenta no diagnóstico dos demais tumores gastrointestinais. Atente-se que doenças benignas também podem cursar com aumento do CA19.9, como pancreatite, doenças autoimunes, cirrose e intestinais. O nível varia durante o ciclo menstrual, sendo mais alto durante a menstruação. O conhecimento de que uma elevação fisiológica pode ocorrer nesse período pode evitar interpretações equivocadas dos resultados. Valores aumentados: carcinoma pancreático (72 a 100%), carcinoma hepatocelular (67%), carcinoma gástrico (62%), carcinoma coloretal (19%) e patologias não neoplásicas (pancreatite - 96%)..

Referência:

Inferior a 39,0 U/mL
Consideração :
Este resultado não deve ser interpretado isolada -
mente.