AMINOÁCIDOS - CROMATOGRAFIA (SCREENING)

Código:

AMINO

Sinônimo:

Ácidos aminados neo

Material:

Papel filtro - sangue

Volume:

Preencher os circulos do Papel Filtro

Método:

MS/MS

Volume Lab:

Preencher os circulos do Papel Filtro

Rotina:

Diária

Resultado em:

Interferentes:

Colhidas em papel filtro inadequado. Utilizar apenas o kit de coleta com papel específico. Nenhum outro tipo de papel filtro será aceito;Danificadas por grampos, colas ou fitas adesivas;Manchadas;Rasgadas; Amassadas;Desconfiguradas /descaracterizadas. Não tentar construir um kit coleta juntando filtro de um modelo com formulário de outro. Encaminhar a amostra exatamente no kit onde procedeu a coleta;Com formulários não preenchidos;Molhadas por não terem completado o tempo mínimo de secagem antes de serem embaladas;Com excesso de sangue formando faixa única e contínua.

6 dia(s)

Temperatura:

Refrigerado Seco

Estabilidade da amostra:

Ambiente

Refrigerado

Freezer

Hora

Hora

Hora

0

168

0

Coleta:

Recipiente: Preencher os circulos do Papel Filtro Coleta: Realizar em recém nascidos de até 90 dias: 1.Solicitar a mãe ou ao acompanhante para permanecer de pé segurando o recém-nascido (RN) em pé (posição de arroto), de costas para o coletador (a), sendo que este, deve ficar sentado e de frente para quem segura o RN. O pezinho do bebê ficará aproximadamente na altura do rosto do coletor. 2.Fazer antissepsia do calcanhar do RN com swab de alcool a 70% massageando com delicadeza / suavemente. 3.Esperar o álcool secar completamente, antes de iniciar a coleta. 4. Segurar firme o calcanhar da criança, mas sem o imobilizar para não prender a circulação. 5. Utilizar de forma adequada a lanceta própria para punção de calcanhar. Punções superficiais promovem sangramentos insuficientes. 6. Com auxílio de gaze ou algodão asséptico, remover a primeira gota formada e iniciar a coleta no papel filtro a partir do segundo fluxo (segunda gota) de sangue 7. Preencher todos os círculos completamente, encostando delicadamente o verso do filtro na gota que se forma no calcanhar do bebê. Deixar o sangue fluir naturalmente, não realizar ordenha (não apertar o calcanhar) que pode liberar o plasma diluindo o material coletado e inviabilizar a amostra. 8. certificar-se de que todos os círculos estão sendo preenchidos e que o sangue flui adequadamente para o verso do filtro. 9. A camada de sangue deve ser fina e homogênea sem excesso ou manchas. Não encostar os dedos no círculo preenchido. 10. Nunca utilizar somente a frente do papel filtro para colher e no instante seguinte virá-lo para colher do verso. Este procedimento é totalmente inadequado. 11. Após a coleta deixar o filtro secar por 2 a 3 horas normalmente em Temperatura Ambiente, sem exposição a altas temperaturas ou a secagem forçada ou a umidade, e protegido da luz solar direta. 12. Embalar o kit papel filtro em envelope plástico zip lock e enviar a amostra ao laboratório, em contêiner refrigerado, porém posicionado de forma a não ficar encostado diretamente no gelo. 13. Não há necessidade de envolver as amostras em papel alumínio. 14. Não utilizar grampeador nos filtros colhidos. Grampos danificam as amostras inviabilizando-as para processamento analítico. ATENÇÃO: Não serão aceitas amostras: *Colhidas em papel filtro inadequado. Utilizar apenas o kit de coleta com papel específico. Nenhum outro tipo de papel filtro será aceito; *Danificadas por grampos, colas ou fitas adesivas; *Manchadas; *Rasgadas; *Amassadas; *Desconfiguradas /descaracterizadas. Não tentar construir um kit coleta juntando filtro de um modelo com formulário de outro. Encaminhar a amostra exatamente no kit onde procedeu a coleta; *Com formulários não preenchidos; *Molhadas por não terem completado o tempo mínimo de secagem antes de serem embaladas; *Com excesso de sangue formando faixa única e contínua.

Interpretação:

É utilizado no rastreamento de doenças do metabolismo de aminoácidos, como a homocistinúria e tirosenemia, entre outras. Pode também estar indicado no monitoramento terapêutico de alguns erros inatos. Em casos de alteração de aminoácidos, deve-se realizar a pesquisa de erros inatos do metabolismo na urina e a cromatografia em plasma e urina por meio de análise quantitativa. Cabe lembrar que os níveis de aminoácidos no sangue dependem da idade e do estado nutricional no momento da coleta devendo os dados serem correlacionados com a suspeita clínica. Aminoacidopatias triadas: cistinose, citrulinemia, fenilcetonúria, hidroxiprolinemia, hiperargininemia, hiperfenilalaninemia, hiperglicinemia, hiperlisinemia, hipermetioninemia, hiperornitinemia, hiperprolinemia, hipervalinemia, histidinemia, homocistinúria, tirosinemia, doença do xarope de bordo. Observação: Alterações transitórias eventuais podem ocorrer em recém-nascidos. Indicação: Triagem para aminoacidopatias.

Referência:

Normal

Aminoacidopatias investigadas:
Hiperfenilalaninemia, Homocistinuria, Hipermetio-
ninemia, Hiperargininemia, Hiperornitinemia,
Tirosinemia, Hipervalinemia, Xarope de bordo e
Hiperglicinemia.

Nota: O presente teste tem como objetivo a triagem
neonatal. Na ausência de correlação clínico labo-
ratorial, sugere-se, a critério médico, que alte-
rações detectadas, por conta de todas as variáveis
biológicas e analíticas, devem ser confirmadas por
técnica quantitativa, em nova amostra, para con-
clusão diagnóstica.

Metodologia desenvolvida e validada pelo setor de
Pesquisa e Desenvolvimento do laboratório, de
acordo com a RDC 302 de 13/10/2005, Art.5.5.5.1.