ÁCIDO DELTA AMINO LEVULÍNICO

Código:

AL

Sinônimo:

ALA-U

Material:

Urinas manuais pós jornada

Volume:

5,0 mL

Método:

Espectrofotometria UV-VIS

Volume Lab:

5,0 mL

Rotina:

Diária

Resultado em:

Interferentes:

3 dia(s)

Temperatura:

Refrigerado

Estabilidade da amostra:

Ambiente

Refrigerado

Freezer

Hora

Hora

Hora

0

96

720

Coleta:

Coletar a amostra e enviar em tubo de transporte.

Interpretação:

É o precursor das porfirinas. Substâncias como etanol, chumbo e outros metais pesados aumentam os níveis do ácido deltaaminolevulínico por inbição da porfobilinogênio sintetase. Outras condições que fazem elevar esse ácido são a porfiria intermitente, coproporfiria hereditária, porfiria variegata e alguma doenças malignas. Indicação: diagnóstico de porfirias; diagnóstico de intoxicação por chumbo ou mercúrio; auxilio no diagnóstico de alterações hepáticas. Interpretação clínica: Valores aumentados (acima do Índice Biológico Máximo Permitido (IBMP): intoxicação por chumbo ou mercúrio, porfiria aguda (aguda intermitente, hereditária, variegata), porfiria cutânea tardia, câncer hepático, hepatite. Interferentes: aumentando - barbituratos, griseofulvina, vitamina E Sugestão de leitura complementar: Araujo UC, Pivetta FR, Moreira J C.. Avaliação da exposição ocupacional ao chumbo: Proposta de uma estratégia de monitoramento para a prevenção de efeitos clínicos e sub-clínicos. Cadernos de Saúde Pública 1999; 15:123-32. Cristiane, Costa MRCO, Armando M, Costa MJ. Limites de aplicabilidade da determinação do ácido delta-aminolevulínico urinário como teste screening na avaliação da intoxicação profissional pelo chumbo. Cad Saúde Pública 2000; 16( 1 ): 225-30.

Referência:

VR*: até 4,5 mg/g de creatinina
IBMP**: até 10,0 mg/g de creatinina
*Valor de Referência para pacientes não expostos.
**Índice Biológico Máximo Permitido (NR-7).

Metodologia desenvolvida e validada pelo laborató-
rio de acordo com a RDC 302 de 13/10/2005, Art.
5.5.5.1.